Arquivo da tag: prainha branca

Circuito Prainha Branca

 

A prainha branca é a última praia da ilha de Santo Amaro e seu acesso se dá apenas por trilha junto ao pier da balsa para Bertioga, porém a maioria dos frequentadores do local desconhece algumas outras atrações que podem ser acessadas por outras trilhas locais. Para chegar a ela, fomos até Bertioga e deixando o carro num estacionamento próximo a balsa para o Guarujá, atravessando o canal usando a balsa. A trilha começa logo do outro lado.

Logo no início da subida calçada para a prainha, há uma saída à esquerda, saímos por ali e seguimos bordejando a encosta e descendo lentamente por dentro da mata. Quando saímos no aberto, temos a direita as ruínas da capela de Guaibê que dizem ter sido construída pelo padre Anchieta. A ruínas da capela que há pouco tempo jazia envolta pela vegetação foi recentemente limpa.

Seguindo em frente chegamos a um barzinho junto a uma estreita faixa de areia. Seguimos em frente e ao final da areia, retomamos a trilha pela mata e logo chegamos a alguns veneráveis paredes de pedras. São o que restou do forte de São Felipe. Dois mirantes dão visão do canal e da cidade de Bertioga do outro lado. Seguindo pela trilha, que se torna mais estreita, temos um curto sobe e desce. A trilha termina num conjunto rochoso à beira mar, sobre o qual um farolete sinaliza a entrada do canal. Um corda amarrada a amurada do farol permite-nos subir pela fenda rochosa logo abaixo. Do alto temos nova visão do canal, de Bertioga e do mar aberto.

Retornamos pelo mesmo caminho até o barzinho. Logo antes dele há uma trilha que sai perpendicular a trilha por onde viemos. Seguimos por ali subindo. Essa trilha entronca na trilha calçada quase em seu alto. Seguimos pelo calçamento e logo passamos pelo alto e começamos a descer.

A trilha fica plana e passa por entre algumas casas e campings até que desemboca na praia junto a uma capela.

Seguimos então para a direita. Ao final da praia, encontramos a entrada da trilha que sobe pela mata rumo a próxima praia. Descemos um pouco e chegamos a uma bifurcação. Á esquerda, descendo, sairíamos na praia preta. Seguimos pela direita. Nova bifurcação e novamente tomamos a direita. A trilha passa a subir forte. Chegamos ao alto e seguimos descendo suavemente. Passamos por um forno de carvão à esquerda da trilha.

Enfim avistamos um riacho. Uma saída à direita apenas dá acesso ao rio. Seguimos para a esquerda e logo chegamos ao rio em ponto onde dá para cruza-lo pulando pelas pedras. Seguimos descendo paralelos ao rio. Uma pequena queda e logo abaixo um belo poço. Descemos ao poço e paramos para um lanche.

Seguimos descendo pela margem direita. Pouco abaixo há uma queda maior e muito bonita. Continuamos a descer o rio, a trilha se torna mais difícil e visivelmente menos transitada. Quando chegamos a baixada, desviamos do rio,saltamos um afluente e cruzamos outro por uma pinguela, desembocando no quintal de uma casa.

O dono da casa não gostou muito de nos ver por ali, mas um pouco de conversa e passamos sem problema. Contornando a casa pela esquerda e seguimos saindo na praia do Camburi.

Na praia é subdivida em duas por uma formação rochosa. Seguimos para a direita, cruzando as rochas e encostamos no costão que forma a borda direita da praia.

Chegamos ao limite de nossa caminhada, para seguir adiante teríamos que prosseguir pelo costão que talvez permita passagem até a próxima praia, questão a ser investigada.

Após um descanso, começamos a volta. Retorna pela praia. No canto esquerdo, o rio da cachoeira forma uma lagoa logo atrás da praia. Cruzamos o rio pela pedras no seu ponto mais estreito a jusante da lagoa e retomamos a trilha. Uma subida e logo descemos de volta a areia. Estamos agora na praia preta. Já no começo da descida tivemos uma vista da praia preta e atrás de uma ponta da prainha branca.

Atravessamos a curta praia preta e entramos na trilha do outro lado. Rapidamente voltamos a prainha branca. Seguimos então até um bar para tomar algo e comer um peixe frito.

Com a noite chegando, retomamos a trilha calçada e voltamos até a balsa e cruzando o canal a Bertioga dando fim a um domingo muito agradável.